sábado, 30 de junho de 2018

Não esqueçais até o fim a humilhação dos vossos pobres!

A Palavra de Deus nos liberta de toda paralisia!

A fé desse oficial romano nos mostra que a Palavra nos liberta de toda e qualquer paralisia. "Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado" (Mateus 8,8).
Tenho uma profunda admiração pela fé desse oficial romano, porque ele se aproxima de Jesus para pedir pelo seu empregado que está paralisado e não consegue andar. Se é uma máquina, conseguimos arrumar, levamos para consertar e ela começa a funcionar. Os seres humanos, no entanto, não são máquinas. Quando, de alguma forma, a paralisia toma conta da nossa vida, podemos tomar esse ou aquele remédio, mas se a paralisia é lá dentro, o que pode nos levantar?
A fé desse oficial romano nos mostra que a Palavra nos liberta de toda e qualquer paralisia. "Basta uma palavra tua para que o meu servo saia da vida paralisada em que ele se encontra". Precisamos que a Palavra de Deus nos liberte de tudo aquilo que está nos parando, que está paralisando a nossa vida.
O mundo em que vivemos, hoje, é tão veloz, é o mundo da correria, da pressa, onde não temos tempo nem para parar. As pessoas estão engolindo a comida, porque não têm tempo para fazer uma refeição da forma sóbria como precisa ser feita. As pessoas engolem a comida com o prato na mão, com o celular na outra, com a conta na frente para resolver, e a vida torna essas coisas juntas numa só, porque a vida é muito veloz.
Eu sei que muitas pessoas gostam de escutar a Palavra de Deus, mas elas não se debruçam mais sobre ela, não têm mais tempo. Essa parafernália de vida agitada, de vida corrida e exigente, vai aos poucos nos paralisando. Basta constatar de um lado e de outro a quantidade de exames médicos, sobretudo, de pessoas que precisam se afastar para fazer tratamentos médicos seríssimos.
O problema não é apenas a saúde física, mas também a saúde emocional, porque as nossas emoções estão se paralisando diante do mundo agitado em que vivemos. Estamos virando paralíticos da alma e do espírito. A nossa mente está paralisando, ela não consegue mais funcionar como precisa, porque são muitas coisas dentro dela.
A Palavra de Deus nos liberta de toda paralisia, mas muitas pessoas querem uma palavra mágica. Jesus não fez mágica para esse homem, Ele lançou a Palavra para que aquele coração se abrisse e, a partir dali, muitas paralisias foram curados na vida daquele servo.
Não esperemos mágica de Deus, deixemos que a Palavra d'Ele entre em nós e nos liberte de tantas coisas que têm paralisado a vida de cada um de nós.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (30/06/18)

A fé em “quem” vem antes da fé em “que”; fé é acreditar na Verdade em pessoa, que é Jesus. É importante acreditar nas verdades religiosas, mas se não acreditarmos, se não aderirmos à pessoa de Jesus, que é caminho verdadeiro para a vida, todos os dogmas, todas as verdades serão para nós apenas crenças. Foi diferente com aquele oficial romano que se aproximou de Jesus lá em Cafarnaum e fez o pedido: "O meu empregado, lá em casa, está de cama. Reza por ele." E Jesus disse: "Eu vou lá, vou curá-lo." E o oficial disse: "Senhor, eu não sou digno que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e o meu servo será curado." Jesus ficou admirado com aquela fé e disse: "Pode ir embora, o teu servo está curado. (Mt 8,5-17)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho do Sábado da 12ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 8,5-17)

Muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa junto com Abraão, Isaac e Jacó.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8,5-17.

Naquele tempo, quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: "Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia".

Jesus respondeu: "Vou curá-lo". O oficial disse: "Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. Pois eu também sou subordinado e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: 'Vai!', e ele vai; e a outro: 'Vem!', e ele vem; e digo a meu escravo: 'Faze isto!', e ele faz".

Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: "Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó, enquanto os herdeiros do Reino serão jogados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes".

Então, Jesus disse ao oficial: "Vai! e seja feito como tu creste". E, naquela mesma hora, o empregado ficou curado. Entrando Jesus na casa de Pedro, viu a sogra dele deitada e com febre. Tocou-lhe a mão, e a febre a deixou. Ela se levantou, e pôs-se a servi-lo. Quando caiu a tarde, levaram a Jesus muitas pessoas possuídas pelo demônio. Ele expulsou os espíritos, com sua palavra, e curou todos os doentes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: "Ele tomou as nossas dores e carregou as nossas enfermidades".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
UMA FÉ ADMIRÁVEL - No Evangelho, vemos a demonstram de fé de um centurião romano, que sem se considerar digno de receber Jesus em sua casa, demonstra ter muita fé ao pedir a cura de seu funcionário. Nessa passagem, vemos que não importa quem é a pessoa: o importante é a fé, pois é pela fé que os milagres acontecem. A fé conduz-nos a estarmos mais perto de Deus, e assim recebermos seus benefícios; mas essa fé também deve nos aproximar dos nossos irmãos, por meio da solidariedade, pois somente assim é que seremos atendidos em nossos pedidos.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

O nosso coração precisa ser purificado por Deus!

Aquilo que está dentro do nosso coração, da nossa alma, mente e vontade precisa ser purificado por Deus. "Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar. Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: 'Eu quero, fica limpo'" (Mateus 8,2-3).
A vontade de Deus é que fiquemos limpos e puros. Se uma mãe quer o seu filho bem limpo, a criança quando nasce, aquele banho que se dá a cada dia, que capricho que dá!, pois aquela pele linda e maravilhosa de uma criança, como é cuidada para que fique bem limpa!
Conforme vamos crescendo e os poros vão se abrindo, mais sujeiras vão entrando em nós. Assim, o trabalho e a aplicação para ficar limpo tem que ser maior, até os banhos têm que aumentar para que a limpeza aconteça em nós. Há uma limpeza mais profunda e necessária, não descartando a limpeza corporal. Nós, que somos limpos, tomamos até dez banhos por dia, mas a alma está recheada de sujeiras, maldades e coisas impuras. Se fôssemos abrir a nossa cabeça, o que tem de coisa velha, estragada, mundana, pornográfica aqui dentro de nós!
Esse leproso que se aproxima de Jesus diz: "Tu tens o poder de me purificar". Jesus respondeu aquilo que, de fato, Ele deseja para nós. O mais difícil não é aquele leproso que estava com a carne suja, fedorenta por causa de toda a situação que era a lepra naquela época. Existe uma lepra maior na humanidade, que a cura só vem do Céu. Aquilo que está dentro da nossa alma, do nosso coração, da nossa mente, da nossa vontade precisa ser purificado por Deus.
A purificação só acontece quando a queremos, quando a permitimos, quando a buscamos e nos deixamos ser purificados por Deus.
Quando somos crianças, nossa mãe tem de nos levar para dar banho, mas, depois que nos tornamos adultos, nem nos amarrando podemos fazer a higiene de que precisamos.
Deus não pode forçar nenhum de nós, mas precisamos expressar para Ele e para o coração d'Ele o quanto queremos e necessitamos ficar limpos, tirar de dentro de nós essas coisas velhas, essas tranqueiras que fazem de nós essa pessoa impura. A boca fala do que o coração está cheio. Está saindo muita coisa velha de nós, porque há muita coisa velha no nosso interior.
Permitamos que Deus nos purifique com Seu amor e Sua bondade.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (29/06/18)

Guarde os milagres que recebe no segredo do coração; seus olhos e sua vida publicarão as maravilhas de Deus. Diversas vezes Jesus tocou, curou, alimentou, realizou milagres e prodígios e ao final disse, como para aquele leproso, naquela ocasião em que Ele desceu do monte, tocou e curou. Ele disse: "Não diga nada para ninguém, vai lá na igreja reza e agradece." Normalmente eles saíam dando testemunho para as pessoas, que ficavam maravilhadas com Jesus. Não conte vantagem dos milagres que recebe, não use as maravilhas de Deus para vangloriar-se. Deixe toda a glória na mão de Deus. (Mt 8,1-4)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Sexta-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 8,1-4)

Se queres, tu tens o poder de me purificar.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8,1-4.

Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam. Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante dele, dizendo: "Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar". Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: "Eu quero, fica limpo". No mesmo instante, o homem ficou curado da lepra. Então Jesus lhe disse: "Olha, não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote, e faze a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho para eles".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
QUERO FICAR LIMPO - No Evangelho de hoje, vemos o testemunho de Jesus, que cura um leproso. Esse é um encontro de fé e amor. Jesus desce da montanha, local que na Bíblia indica um encontro com Deus. Ele está saindo desse momento de oração, e ali um leproso lhe vem ao encontro, e numa atitude de fé, apresenta-se a ele para que possa ser curado. Ele, o Amor Encarnado, sem medo dos olhares de outros, toca-o e apresenta-lhe a cura. Temos o encontro do homem amor-misericordioso que cura o homem de fé. Que, em nossa vida, tenhamos tamanha fé, para termos nossas feridas curadas pelo amor.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

PARTICIPE!

Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos, ó Senhor!

#minisermao (28/06/18)

É perversa a prece usada como máscara para a corrupção. Não basta rezar, é preciso praticar. Quando chegarmos no céu e batermos à porta, o Senhor não nos perguntará o quanto oramos, mas olhará o nosso coração e verá o quanto praticamos da oração que fizemos e o quanto transformamos a nossa prática em oração; por isso a prece sem prática é como uma casa construída sobre a areia: quando vem a tempestade, a casa cai. Para rezar com sinceridade, é preciso viver de modo sincero, porque senão somos a reedição revista e piorada dos fariseus do tempo de Jesus. (Mt 7-21-29)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quinta-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 7,21-29)

A casa construída sobre a rocha e a casa construída sobre a areia.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,21-29.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Nem todo aquele que me diz: 'Senhor, Senhor', entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. Naquele dia, muitos vão me dizer: 'Senhor, Senhor', não foi em teu nome que profetizamos? Não foi em teu nome que expulsamos demônios? E não foi em teu nome que fizemos muitos milagres? Então eu lhes direi publicamente: Jamais vos conheci. Afastai-vos de mim, vós que praticais o mal.
Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!" Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, as multidões ficaram admiradas com seu ensinamento. De fato, ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os mestres da lei.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
PRUDÊNCIA E TOLICE - Jesus continua a insistir, entre seus seguidores, para que haja coerência entre a teoria e a prática na vida cristã. Ele nos apresenta que nem todo aquele que na teoria invocar ao Senhor será salvo, pois pode ser uma fala vazia, sem ser preenchida pela ação. O exemplo dado por ele é de um homem que constrói uma casa sobre a rocha, que se torna visível e forte diante das intempéries da natureza. Assim devemos ser, pois é pelas nossas obras fundadas em Cristo que seremos salvos, e não apenas por nossa pregação, que pode ser vazia.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Ensinai-me a viver vossos preceitos, ó Senhor!

Tomemos cuidado com a falsidade do mundo!

A Palavra de Deus tem o poder de depurar e purificar tudo aquilo que tomou conta deste mundo, que não é autêntico. "Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes" (Mateus 7,15).
A grande advertência de Jesus para nós, no Evangelho de hoje, é cuidarmos daquilo que é falso. Existe falsificação em tudo, há falsos profetas, falsas profecias, falsas palavras, ensinamentos e ditados. Estamos em um mundo falseado e falsificado.
Precisamos ter cuidado com aquilo que não é autêntico nem verdadeiro, com aquilo que não edifica nem constrói. A questão é que, num primeiro momento, não temos a sabedoria, porque nos deixamos levar por coisas falsas, acostumamo-nos a comprar coisas que pareciam boas, mas não eram, a comprarmos coisas enganosas como se fossem certas. Acostumamo-nos a falar coisas erradas para as pessoas, ensinar coisas erradas como se fossem certas. No mundo em que vivemos, parece muito comum usar o errado e o falso como se fossem corretos e verdadeiros.
A Palavra de Deus tem o poder de depurar e purificar tudo aquilo que tomou conta desse mundo que é falso, que não é autêntico. Precisamos deixar que a Palavra de Deus realize isso na nossa vida e no nosso coração.
O Evangelho de hoje não é para ficarmos dizendo: "Olha aquele profeta, aquele pregador, aquele de outra religião, é um falso profeta". O Evangelho de hoje é um apontamento para termos cuidado com tudo que é falso no nosso meio, na igreja em que frequentamos, no mundo em que estamos, nas relações que estabelecemos e para além de nós.
Papa Francisco tem me chamado bastante a atenção sobre a realidade das Fake News, e aqui não quero me referir somente às Fake News do mundo político, que é uma preocupação do mundo em que estamos. Existem muitas Fake News no mundo cristão, e no mundo católico, nem se diga! São pessoas de igreja, de grupos que não têm muita moderação, muita reflexão no que fazem, e simplesmente pegam as coisas e vão repassando. Se recebe uma coisa que parece bonita, bombástica ou profunda demais, você não reflete, não sabe de onde vem, quem mandou, quem fez.
Não é só porque a pintura é bonita ou porque o desenho está bem feito, porque tem o nome do padre tal, do fulano tal, que significa que aquilo é autêntico.
O mundo de hoje é o mundo da velocidade, e hoje a velocidade do que é falso é, mais do que nunca, espalhado. O mundo vai dar conta do mundo, mas o problema é que nós cristãos estamos tendo atitudes mundanas quando permitimos que, por meio de nós – seja pela nossa boca, pelo uso das nossas redes sociais – espalhe o que é falso, o que não é correto e mentiroso.
Cuidado com os falsos profetas, cuidado com as falsas profecias, cuidado com as coisas falsas que nós recebemos e espalhamos como se fossem verdade, pois para recolhermos não damos conta!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (27/06/18)

A anarquia virtual é um terreno muito fértil para a proliferação dos falsos profetas, dos messias de plantão. Questione quem afirma que tem todas as soluções, pode ser no mundo da sociedade, da política, ou mesmo da religião; eles parecem pessoas convincentes, seus textos e frases nas redes sociais parecem resolver todos os problemas e questionar tudo e todos: "Está tudo errado e agora sim chegou quem pode consertar". É preciso pedir a Deus o dom do discernimento para distinguir quem são os lobos em pele de ovelhas, que falam suave, mas acabam roubando o nosso coração. (Mt 7,15-20)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quarta-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mateus 7: 15-20)

Pelos seus frutos vós os conhecereis.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,15-20

Cuidado com os falsos profetas, que vêm a ti em pele de ovelha, mas por dentro são lobos rapinantes. pelos seus frutos os conhecereis. As uvas são colhidas de espinhos ou figos dos cardos? Assim toda boa árvore dá bons frutos, mas uma árvore má produz frutos maus. Uma boa árvore não pode produzir frutos maus, nem pode uma árvore má produzir bons frutos. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Assim, pelos seus frutos, você os reconhecerá.
Palavra de Salvação.
Glória a você, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
FALAR E AGIR - No Evangelho, Jesus vem alertar os discípulos sobre os falsos profetas, ou seja, os profetas que se desviaram do caminho de Deus, mas que mesmo em outros caminhos, conservam as características dos profetas de Deus, para que possam enganar ao povo que por eles se deixam orientar. A orientação de Jesus é para que não se deixem conduzir pela aparência, que continuam a mesma, mas se deixem orientar por suas ações, e aí está a diferença em relação aos profetas de Deus. Assim acontece conosco: revelaremos quem somos, não por nossa aparência, mas por nossas ações, que revelam o projeto divino.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos.

AGENDA DA SEMANA:
• 25/06(SEGUNDA)
- 16h = Missa de corpo presente.
- 18h = Formação do conselho de leigos da capela de Santa Cecília.
- 19h = Terço das mulheres na capela de Santa Cecília.
- 19h = Celebração na comunidade rural Flores.
- 19h = Noite em honra a São Pedro na comunidade rural Barra de São Pedro.
- 19h = Formação de líderes da RCC no Centro Paroquial.
- 19h = Reunião da equipe N. S. dos Milagres.
- 19h = Terço dos homens na matriz.
- 19h = Formação dos MECES na casa das irmãs.
• 26/06(TERÇA)
- 8h30 = Atendimento aos enfermos nas residências.
- 19h = Ministério de Cura e Aconselhamento na matriz.
- 19h = Terço dos homens na Capela de Santa Cecília.
- 19h = Grupo de intercessão da RCC.
- 19h = Noite em honra a São Pedro na comunidade rural Barra de São Pedro.
- 19h = Escola de Evangelização no Centro Paroquial.
• 27/06(QUARTA)
- 8h30 = Atendimento aos enfermos nas residências.
- 19h = Grupo de Oração da RCC na matriz.
- 19h = Noite em honra a São Pedro na comunidade rural Barra de São Pedro.
• 28/06(QUINTA)
- 7h às 12h = Adoração ao santíssimo sacramento na matriz.
- 8h30 = Confissões Individuais na sala Ir. Dione.
- 12h = Missa da Hora da Graça na matriz.
- 19h = Última noite em honra a São Pedro na comunidade rural Barra de São Pedro.
• 29/06(SEXTA)
- 17h = Procissão de encerramento e Missa em honra a São Pedro na comunidade rural Barra de São Pedro.
- 15h = Na matriz, Terço da Divina Misericórdia.
- 19h = João-Pedro dos casais e jovens do EJC da paróquia.
- 19h = Terço das mulheres na Capela de Nossa Senhora do Rosário.
- 19h = Grupo da Juventude Missionária.
• 30/06(SÁBADO)
- 17h = Missa na Capela da comunidade rural São Francisco.
- 19h = Missa na Matriz.
• 01/07(DOMINGO DA DEVOLUÇÃO DO DÍZIMO)
- 7h e 19h = Missa na Matriz.
- 9h = Batizados na matriz.
- 9h30 = Missa na Capela de Santa Cecília.
- 17h = Missa na Capela de N. S. da Piedade.

Vossa mão nos ajude, ouvi-nos Senhor!

Paremos de olhar para a vida do próximo!

Se quisermos que a luz de Deus entre no nosso coração, precisamos parar de olhar no retrovisor da vida dos outros
"Não julgueis, e não sereis julgados. Pois, vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos, com a mesma medida com que medirdes". (Mateus 7,1-2).
Deus é bom, misericordioso, bondoso e amoroso, mas Ele também é justo. A justiça de Deus vem para nos tornar justos, e a primeira coisa, se quisermos realmente que a justiça de Deus aconteça na nossa vida, é não julgarmos uns aos outros. Não julgar é, justamente, o que o verbo está nos dizendo, é pararmos de fazer juízo a respeito da vida dos outros. E fazer juízo da vida dos outros é como um tribunal que se reúne e lança uma sentença sobre a vida das pessoas. 
A nossa cabeça está carregada, pesada, os nossos pensamentos não param, porque vivemos, constantemente, julgando uns aos outros. Nós julgamos as atitudes dos outros, as suas ações. Quanto mais nos tornamos juízes dos outros, mais incapazes somos de nos julgarmos, de nos conhecermos, de voltarmos para nós.
O Evangelho está nos dizendo: "Por que você vê o cisco no olho do teu irmão, mas não vê a trave grande no teu olho?" (cf. Mateus 7,5). Em outras palavras: "Por que você não se enxerga? Por que você vive preocupado com a vida dos outros? Por que você só sabe falar da vida de todo mundo e não sabe falar da sua própria vida?".
Às vezes, vamos conversar com essa ou aquela pessoa, e ela sabe falar da vida do marido, do filho, do vizinho; mas quando é para falar de si mesma, não sai pouca coisa, não sai o essencial ou não se conhece como precisa ser conhecida.
Quando nos conhecermos de verdade, quando entrarmos com profundidade dentro de nós e do nosso coração, quando conhecermos as coisas asquerosas que guardamos, vivemos, pensamos e sentimos, nunca mais seremos capazes de julgar ninguém. Quando julgamos os outros, esse é o primeiro sinal de que não nos conhecemos, de verdade, e vivemos nessa escuridão de vida, vivemos na penumbra, porque somos focados na vida dos outros e não na nossa própria vida.
Se quisermos que a luz de Deus entre no nosso coração, precisamos parar de olhar no retrovisor da vida dos outros, e olhar para o visor da graça que entra com a luz do Céu no nosso coração.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (25/06/18)

Jesus pede para não julgar, mas manda corrigir o irmão quando ele errar. Contradição? Não! Apenas Deus vê o que está no coração. Existem verdades objetivas, dogmas que a Igreja nos apresenta, mas no momento em que eu escuto, eu escuto com meus ouvidos, entendo com a minha mente e guardo no meu coração, portanto isso está na minha consciência, que é diferente da consciência do meu irmão; então ao invés de dizer: "Você errou!" É melhor dizer: "Eu percebo que você está errado, do meu ponto de vista, você errou." Não julgando o que está no coração porque isto cabe apenas a Deus julgar. (Mt 7,1-5)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Segunda-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 7,1-5) 
 
Tira primeiro a trave do teu próprio olho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,1-5.
 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Não julgueis, e não sereis julgados. Pois, vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos, com a mesma medida com que medirdes. Por que observas o cisco no olho do teu irmão, e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho? Ou, como podes dizer a teu irmão: 'Deixa-me tirar o cisco do teu olho', quando tu mesmo tens uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho, e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
NÃO SEJA JUIZ DO PRÓXIMO - O convite de Jesus hoje no Evangelho é para que estejamos constantemente olhando para nosso interior, observando nossas falhas e fraquezas, para tentarmos corrigi-las e, só depois, apontarmos os erros e defeitos do outro. Agindo dessa forma, seriam evitadas tantas condenações e críticas alheias, pois perceberíamos o quanto é difícil de nos corrigirmos, e também poderíamos encontrar falhas que são muito maiores em nós que nos outros. Agindo assim, viveríamos em uma constante revisão de nossa vida, buscando sempre nos corrigirmos para nos aproximarmos da perfeição divina.

domingo, 24 de junho de 2018

Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, porque de modo admirável me formastes!

João é a seta que aponta para Jesus!

João é uma seta, não é o caminho. Ele é aquele que está sempre apontando para Jesus. "E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: 'O que virá a ser este menino?' De fato, a mão do Senhor estava com ele. E o menino crescia e se fortalecia em espírito. Ele vivia nos lugares desertos, até o dia em que se apresentou publicamente a Israel" (Lucas 1,66.80).
Celebramos, hoje, o nascimento deste menino abençoado: São João Batista. Toda vida humana, quando nasce, é uma bênção de Deus, mas há aqueles que são escolhidos, desde o ventre de sua mãe, como nos lembra o profeta Jeremias.
João Batista foi assinalado, foi marcado no ventre de sua mãe para ser o profeta do Deus Altíssimo. Por isso, neste domingo solene, celebramos a graça do nascimento dessa criança.
Geralmente, celebramos a festa dos santos quando eles nascem para o Céu, no aniversário de sua morte. No entanto, celebramos o nascimento de Nossa Senhora e de São João Batista, porque eles representam o nascimento para uma vida nova. Maria foi concebida sem pecado, e João Batista foi santificado no ventre de sua mãe.
Quem é esse menino que, desde pequeno, tem a graça de Deus sobre ele, tem o olhar de Deus voltado para ele? João Batista é o precursor de Jesus, é aquele que vai preparar os caminhos para que o Senhor passe. Em João, há três coisas importantes que chamam demais a minha atenção: primeiro, esse menino é grande aos olhos de Deus, o anjo mesmo disse quando anunciou a Zacarias o seu nascimento: "Ele será grande aos olhos do Senhor"(Lucas 1,15).
A grandeza de João não está na sua importância ou naquilo que ele fala, mas na sua humildade. Quando João diz: "Eu não sou nem digno de desamarrar as suas sandálias, convém que ele cresça e eu diminua" (João 1,27). João é uma seta, não o caminho, ele é aquele que está sempre apontando para Jesus e nunca deixa que as luzes pairem sobre ele, nem deixa que seu brilho apareça. João é o homem do escondimento, é aquele que está sempre escondido, é o homem do deserto e da sobriedade. João é para nós um exemplo de sobriedade.
É interessante, porque as festas de São João, no Brasil, são regadas à bebidas, alcoolismo, têm pessoas bebendo para lá e para cá. Penso que isso não tem muito haver com São João. O São João que celebramos, hoje, é o homem da sobriedade, podemos acender a fogueira, ter as comidas típicas, mas tudo o que represente excesso e o mundanismo mais do que a Deus não tem muito haver com João Batista.
O João que, hoje, rendemos veneração não era um homem que se embriagava; pelo contrário, era um homem que se recolhia para a vida sóbria, era cheio do Espírito Santo.
Se quisermos celebrar João Batista de verdade e em Espírito, enchamo-nos daquilo que ele se encheu: do Espírito Santo de Deus.
Deus abençoe você! 
Padre Roger Araújo

#minisermao (24/06/18)

Educar uma criança é mais do que lhe oferecer saberes; é preciso educar também a alma para que ela cresça espiritualmente. Desde que uma criança nasce, cuidamos do seu corpo, da sua saúde, da sua alimentação, estimulamos os seus movimentos para que ela aprenda a engatinhar e depois andar e finalmente a falar e depois, que vá para a escola para aprender as operações da matemática, a gramática e a língua mãe; isso é fundamental, mas não somos apenas corpo, não somos apenas mente e nem mesmo apenas coração, somos alma, temos uma abertura para o eterno e é preciso desde a mais tenra idade educar espiritualmente os nossos filhos, para que eles cresçam na sensibilidade para com as coisas de Deus. (Lc 1,57-66.80)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece a sua semana mais feliz meditando o Santo Evangelho da Natividade de São João Batista - Solenidade

Evangelho (Lucas 1,57-66)

Nascimento de João Batista.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 1,57-66

Completando-se para Isabel o tempo de dar à luz, teve um filho. Os seus vizinhos e parentes souberam que o Senhor lhe manifestara a sua misericórdia, e congratulavam-se com ela.
No oitavo dia, foram circuncidar o menino e o queriam chamar pelo nome de seu pai, Zacarias.
Mas sua mãe interveio: "Não", disse ela, "ele se chamará João". Replicaram-lhe: "Não há ninguém na tua família que se chame por este nome". E perguntavam por acenos ao seu pai como queria que se chamasse. Ele, pedindo uma tabuinha, escreveu nela as palavras: "João é o seu nome". Todos ficaram pasmados. E logo se lhe abriu a boca e soltou-se-lhe a língua e ele falou, bendizendo a Deus. O temor apoderou-se de todos os seus vizinhos; o fato divulgou-se por todas as montanhas da Judéia.
Todos os que o ouviam conservavam-no no coração, dizendo: "Que será este menino? Porque a mão do Senhor estava com ele.
O menino foi crescendo e fortificava-se em espírito, e viveu nos desertos até o dia em que se apresentou diante de Israel.
Palavra da Salvação.
Glória a vós Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

SOB A PROTEÇÃO DO SENHOR - "João é o seu nome". Depois de Jesus, João Batista é o único que a Igreja celebra solenemente o nascimento. Esse fato indica o quanto João é importante para o projeto do Reino pois, é ele quem prepara os caminhos do Senhor. Celebrando seu nascimento, vemos no Evangelho sua chegada, indicando que, desde o ventre de sua mãe, Deus o conhecia e o havia consagrado.
Senhor, que com o exemplo de João Batista, eu possa resgatar a missão recebida no batismo, de ser a voz que clama no deserto da sociedade, denunciando as injustiças e anunciando um novo tempo.
Em sinal de promoção e defesa da vida, farei o possível e visitarei uma gestante.

sábado, 23 de junho de 2018

Padre João Maria de Jardim de Piranhas/RN.

Nasceu em Jardim de Piranhas – RN, na Fazenda Logradouros a 23 de junho de 1848, onde sua mãe veio a lhe chamar João por causa da sua devoção a São João. Seus pais foram Amaro Cavalcanti Soares de Brito e Ana de Barros Cavalcanti de Brito. Entrou no Seminário de Olinda (PE), aos 13 anos. Ordenou-se sacerdote no Seminário de Prainha em Fortaleza (CE) no dia 30 de novembro de 1871. Celebrou a sua primeira Missa em Caicó, sua terra natal. Assumiu a Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação em Natal (RN) em 07 de agosto de 1881. Passou 24 anos como vigário desta Paróquia. Seu zelo sacerdotal e a fidelidade à vocação, fizeram de sua caminhada um exemplo para todos, onde a oração e o serviço ao próximo foram o centro de sua vida. Foi um padre de vida espiritual intensa, conseguindo grande frequência de fiéis aos atos religiosos. Junto aos poderes públicos obteve um terreno para construir uma nova Igreja. Hoje nesse terreno está erguida a Catedral de Nossa Senhora da Apresentação em Natal (RN). Durante seu ministério em Natal houve vários períodos de seca e grande epidemia de varíola no estado, causando grande emigração do interior para a capital, o que o motivou a ser além de sacerdote, médico, enfermeiro e amigo, levando conforto espiritual (os sacramentos e a catequese) e o apoio material de tudo o que podia dispor, para aliviar o sofrimento dos que sofriam. tinha como lema: "Tudo para todos".

Guardarei eternamente para ele a minha graça!

O dinheiro é o grande promotor das injustiças no mundo!

Uma grande injustiça é deixar de servir a Deus para servir ao deus deste mundo, que é o dinheiro. "Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro" (Mateus 6,24).
As palavras de Jesus podem parecer duras, mas são verdadeiras. Precisamos delas para que a nossa vida ande na medida correta, é a justa medida para o nosso coração.
Não podemos servir a dois senhores. Deus é Deus, e o deus deste mundo é o dinheiro. Não precisamos ter dúvida nenhuma a respeito disso. É o mercado financeiro com tudo aquilo que ele tem de desdobramentos que manda na vida, nos negócios e nas relações. O deus dinheiro, muitas vezes, manda até dentro da igreja, manda nas pessoas da igreja, nas relações que elas estabelecem umas com as outras.
Não podemos ser dominados pelo Deus deste mundo, pelo contrário, temos de nos servir do dinheiro, para que ele promova paz, justiça e o bem comum. O dinheiro, muitas vezes, é a mercadoria e o mecanismo para o enriquecimento de alguns e o empobrecimento da grande maioria. O dinheiro é o grande promotor das injustiças no mundo.
Estão perguntando por que Deus permite tantas injustiças, mas Ele não permite nenhuma injustiça, Ele chora com as coisas injustas deste mundo; e a grande injustiça é deixar de servi-Lo para servir ao deus deste mundo, que é o dinheiro.
Se os corações servissem a Deus, o dinheiro não seria utilizado para alguns enriquecerem, para juntarem só para si, mas repartiriam o que Deus deu para todos com todos. A prática perversa de uns terem mais e outros não terem nada nunca é abençoada por Deus.
O dinheiro conseguido com suor no bolso, com o trabalho, é mais do que justo, mais do que honesto e necessário, mas escravizar-se pelo dinheiro e deixar que ele mande em nossas relações é a grande perversidade do mundo em que nós vivemos.
"Não vos preocupeis com a vossa vida" (Mateus 6,25). O dinheiro nos leva a ter uma vida excessivamente preocupada com os acúmulos: O que vou ter? O que vou comer. Nunca estamos satisfeitos com a roupa que temos, com a comida que comemos, com aquilo que podemos. Estamos sempre preocupados em ter mais.
Quanto mais nos preocupamos com as coisas do mundo, menos o nosso coração se ocupa de Deus, e Ele pode se ocupar de nós para nos ajudar a ter uma vida justa, correta e sóbria.
Não sirvamos ao deus desse mundo, sirvamos unicamente àquele que é o nosso Deus e Senhor.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (23/06/18)

É melhor ocupar-se do que preocupar-se. As preocupações costumam nos ocupar demais. É por isso que Jesus disse: "Não vos preocupeis com o alimento, não vos preocupeis em prolongar a própria vida, Deus cuida de nós; não vos preocupeis com o dia de amanhã, a cada dia basta sua preocupação." Quando nos preocupamos gastamos todo o nosso espaço na mente e no coração, que deveria estar reservado para ocupar-se; se nós não devemos nos preocupar, devemos nos preparar; se eu preparo bem alguma coisa que eu vou fazer amanhã, eu me livro de toda preocupação, mas se eu não estou preparado eu fico preocupado (Mt 6,24-34)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho do Sábado da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 6,24-34)

Não vos preocupeis com o dia de amanhã.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 6,24-34.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.
Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa? Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem, nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros?
Quem de nós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso? E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé?
Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que vamos comer? Que vamos beber? Como vamos nos vestir? Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso. Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia, bastam seus próprios problemas".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O REINO DE DEUS E SUA JUSTIÇA - Hoje, Jesus convida-nos a refletir sobre nossas maiores preocupações do dia a dia. Diante de tantas respostas que podemos dar, Ele diz: "Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça”. Nessa frase, ele renova o convite de amarmos e servirmos a Deus sempre em primeiro lugar, e tudo o mais nos será acrescentado, pois ao que crê e tem Deus em primeiro lugar nada falta. Assim, a liturgia convida-nos a buscar a misericórdia de Deus, confiando a ele nossas falhas e fraquezas, e pedindo que ele nos fortaleça em nosso propósito.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

O Senhor preferiu Jerusalém por sua morada!

Acumulemos tesouros no Céu!

O tesouro que acumulamos no Céu é o amor que depositamos no coração de Deus. "Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam" (Mateus 6,19).
Não podemos deixar que o tesouro do nosso coração esteja preso às coisas da Terra, porque essa é a tendência da vida, é olharmos para ela como se fosse aqui e agora. A qualidade de vida para algumas pessoas é o dinheiro que elas acumulam, são os bens que elas têm e a rentabilidade financeira que move a sua vida, de modo que, quando uma dessas três coisas não estão bem, muitas vezes, o coração não está bem, a vida não está bem. É um tremendo engano e uma tremenda ilusão.
A verdade é que se olharmos para as pessoas que têm muito dinheiro, elas estão sofrendo para ter o muito dinheiro que têm, para guardar o muito dinheiro que acumularam. É a preocupação com segurança e em fazer render mais o que têm.
É bom trabalhar honestamente para conseguir melhorar de vida, para ter o que é preciso para uma vida digna, saudável, que é bom para todos. O problema é onde está o seu coração, pois onde ele estiver, ali estará o seu tesouro. Se o seu coração está preso aos bens deste mundo, aos tesouros que você acumula, ali seu coração vai estar preso, e o coração preso a este mundo não consegue absorver as coisas do Céu.
Com os pés no chão, trabalhando para ter uma vida digna, correta, ajustada, pagando as contas, podendo ter só o que precisa, mas com o coração em Deus, no Alto, acumulando o verdadeiro tesouro que traça, ferrugem nem ladrão poderão nos roubar.
Nenhum ladrão pode tirar a alegria do coração de quem é de Deus, nenhuma perda desse mundo tem comparação com o tesouro que acumulamos no Céu. Acumular tesouros no Céu não é transpor realidades materiais nem mundanas para lá. Às vezes, alguém diz: "O dinheiro que eu deposito na igreja é ponto que vou acumular no Céu". Não nos deixemos iludir nem nos enganar por essa retórica pervertida!
O tesouro que nós acumulamos no Céu é o amor que depositamos no coração de Deus, é o amor que temos para as coisas d'Ele e para com o nosso próximo, é o bem que praticamos, a generosidade do nosso coração, a caridade da nossa alma, a misericórdia nas nossas atitudes. O tesouro que acumulamos no Céu é o perdão que oferecemos, sem medida, ao próximo.
Acumular tesouros no Céu é viver a reconciliação com os nossos irmãos, com o mundo em que vivemos. Onde promovemos a paz e o bem não promovemos a guerra, a disputa nem a competição por causa dos bens materiais.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (22/06/18)

O bem que fazemos é eterno como um tesouro guardado no céu: ninguém pode roubar. Jesus ensinou que aonde está o teu tesouro, aí estará o teu coração; e se o tesouro está no dinheiro, o coração perece quando o dinheiro acaba; e se o tesouro está no poder, o poder também passa e o coração perece e sofre; se o tesouro está no prazer, passa muito mais rápido e o coração fica carente e sofredor; ao invés disso, um coração que tem o tesouro no céu é um coração adorador. Ainda que nos roubem o dinheiro, o poder, o prestígio, a fama e os prazeres, o coração não perece, porque seus valores repousam no eterno. (Mt 6,19-23)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Sexta-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 6,19-23)

Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,19-23.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.
O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. Se o teu olho está doente, todo o corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O TESOURO DO CÉU - O Evangelho convida-nos e refletirmos sobre os verdadeiros valores que o homem busca na vida. O homem, quando está na escuridão, não consegue enxergar os verdadeiros valores, pautando sua vida em valores terrenos e passageiros, que o tempo será capaz de deteriorar. Mas os olhos, que são a luz do corpo, quando sãos, podem ver os bens eternos, os verdadeiros tesouros que não serão deteriorados pelo tempo. Dessa forma, somos convidados a primar por vivermos e conquistarmos os verdadeiros tesouros, desprendendo-nos dos valores passageiros, para vivermos a presença de Deus.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

Participe da celebração da Santa Missa a "Hora da Graça de Deus".

A oração é a expressão da nossa relação com Deus!

A oração acontece na simplicidade do coração, a oração é uma relação amorosa com Deus. "Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos" (Mateus 6,7).
Jesus está nos ensinando como devemos orar. A oração é a expressão maior da nossa relação com Deus; é a expressão da nossa comunhão com Ele. Só temos comunhão com o Pai quando temos vida de oração, e vida de oração exige dedicação e esforço. A vida de oração é muito exigente, mas é ela que nos coloca na sintonia de amor com Deus, Nosso Pai.
Três coisas são importantes para que a nossa oração seja eficaz: a primeira é não multiplicar as palavras, é o imperativo que Jesus está nos dando hoje. Muitas pessoas acham que serão ouvidas orando muito, falando muitas palavras, falando mais alto, gritando e esperneando. Mas a oração acontece na simplicidade do coração, a oração é uma relação amorosa com Deus.
Quando se quer conseguir algo de alguma pessoa, não se grita com ela ou fica na repetição. Com Deus a nossa oração tem de ser de confiança e não de exasperação; não exasperar as palavras, os atos e nem as atitudes. É claro que, há situações onde não estamos tão bem; situações que parecem que o desespero toma conta de nós, mas é, principalmente, nessa hora que a nossa confiança em Deus tem de ser maior, a oração que vai na serenidade das palavras e das atitudes. É assim que nos dirigimos a Deus.
A nossa oração tem de ser uma mistura de fala serena com as palavras que precisamos dizer, mas não precisamos achar palavras bonitas, pois Deus não vai nos ouvir pela força das palavras que sabemos dizer. Muitas vezes as orações tornam-se até teatrais e, às vezes, oramos mais para os outros do que para Deus. Com Deus se fala na simplicidade porque Ele é simples.
A segunda coisa importante é não deixar de colocar o silêncio. Nossas orações têm ficado muito barulhentas, cheias de coisas e não mergulhamos na força do silêncio. A oração eficaz é aquela que nos dirigimos a Deus como Nosso Pai, temos confiança que Ele é o Pai, que Ele cuida de nós, que Ele nos pega pela mão e conduz o nosso coração.
A terceira coisa que na oração jamais pode faltar é o perdão sincero que buscamos de Deus e, o perdão sincero que concedemos ao irmão. Todos os dias precisamos pedir perdão a Deus e todos os dias precisamos perdoar o nosso irmão. O bálsamo da oração é a força do perdão.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (21/06/18)

É preciso saber muito para falar pouco e dizer tudo, como Jesus ensinou na oração do Pai-nosso, que resume todos os saberes da terra e do céu. Santo Agostinho dizia que não há uma palavra na Bíblia que, de alguma maneira, não esteja resumida no Pai-nosso; os discípulos viram Jesus subir ao monte e rezar e não sabiam o que Ele dizia, então perguntaram: "Como é que se reza?" E fizeram um pedido: "Mestre, ensina-nos a rezar." E Ele rezou a mais bela oração de todos os tempos. O Pai-nosso inspirado nas 18 bênçãos de um judeu orante, como era Jesus de Nazaré, mas muito mais simples, muito mais completa, a oração do Pai-nosso reconhece que o Pai está no céu e nós somos todos irmãos e o pão está na terra e nós temos que conquistar e repartir. Este é o Pai Nosso. (Mt 6,7-15)
Pe. Joãozinho, scj.

Santo do dia - São Luís Gonzaga

São Luís Gonzaga, dava testemunho do Evangelho e se consagrou a Nossa Senhora. 
Considerado o "Patrono da Juventude", São Luís Gonzaga nasceu no ano de 1568 na Corte de Castiglione. Recebeu por parte de sua mãe a formação cristã. Já seu pai o motivava a ser príncipe. Sua família tinha muitas posses mas, graças ao amor de Deus, Luís – desde cedo – deixou-se possuir por esse amor.
Com dez anos de idade, na corte, frequentando aqueles meios, dava ali testemunho do Evangelho e se consagrou a Nossa Senhora. Ali descobriu seu chamado à vida religiosa e queria ser padre. Seu pai, ao saber disso, o levava para festas mundanas, na tentativa de fazê-lo desistir de sua vocação.
Entrou para a Companhia de Jesus onde viveu durante seis anos.
Com pouco mais de vinte anos, faleceu de uma peste que havia se espalhado em Roma.
São Luís Gonzaga, rogai por nós!

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quinta-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 6,7-15)

Vós deveis rezar assim.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,7-15.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus.
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A VONTADE DO PAI - No Evangelho, vemos Jesus ensinar a oração do Pai-nosso, que podemos dizer ser a oração mais conhecida e mais rezada em todos os tempos. É uma oração pela qual fazemos suplicas a Deus, mas que também nos compromete com Deus e os irmãos. Pedimos a realização do Reino entre nós, mas que seja segundo a vontade de Deus, e não a nossa. Pedimos o perdão das nossas ofensas, da mesma forma que nós perdoamos aos que nos ofendem. O convite, hoje, é para tomar consciência de nossa oração, para que os compromissos assumidos nela gerem frutos em nossa vida.